mikkacapella

Mikka Capella é cigano, nasceu em Petrópolis, Rio de Janeiro, e é apaixonado por histórias e pela arte de contá-las. Como autor de não-ficção, escreveu Romani Dromá: caminhos ciganos, um livro sobre história, costumes e a multiplicidade de tradições romani. É membro da ABERST — Associação Brasileira de Escritores de Romance Policial, Suspense e Terror. Participou de várias antologias e é autor de algumas obras solo na plataforma KDP, da Amazon, como Sépia: a bruxa de Jaqueiral e A Canção do Rochedo. Recentemente, venceu o Segundo Concurso ABEA: aventuras africanas, com Senhoras do Pássaro da Noite, ainda por ser publicada. Continua vivendo no Rio de Janeiro, onde passa os dias escrevendo e revisando textos na casa que divide com seu esposo, Fábio, e Luna, a gata preta.

IARA – A SEREIA BRASILEIRA

Conta a lenda mais conhecida que Iara era a filha de um poderoso pajé. Ela tinha dois irmãos, mas se destacava por sua bela voz, que encantava a todos, e por suas habilidades excepcionais como guerreira. Seu pai, o pajé, era só elogios. Todos a amavam… exceto seus irmãos.

Esses tinham muito ciúme de Iara. Ela era uma mulher e tinha mais reconhecimento que eles. Era melhor guerreira e, a julgar pela maneira como todos a tratavam, melhor companhia; um absurdo inaceitável! Assim, cegos pela inveja, eles decidiram matá-la…

A Lenda das Sereias

Todos já ouvimos falar ou ao menos estamos familiarizados com a imagem de Ariel, a pequena sereia, personagem do conto homônimo de Hans Christian Andersen, popularizado pela Disney. Na verdade, as sereias fazem parte do nosso imaginário coletivo; não são mera fantasia para os pescadores de comunidades isoladas. Iemanjá, a deusa afro-brasileira das águas, é algumas vezes representada como uma sereia e as lojas de artigos de umbanda estão cheias de imagens de sereias sentadas em rochedos (eu mesmo tenho uma muito bonita no meu altar). Não é, no entanto, a essas entidades belíssimas com calda de peixe que a palavra “sereia” se reporta originalmente. Vamos conversar um pouco sobre elas?

As Irmãs Fox e a Gênese do Espiritualismo Contemporâneo

Semana passada falamos do Tabuleiro Ouija e achei que seria interessante trazer um pouco da história das irmãs Fox, agora.
Elas estão intimamente ligadas ao surgimento desse brinquedo (sim, é um brinquedo), bem como ao surgimento do próprio movimento espiritualista estadunidense; além disso, tiveram uma vida recheada de polêmica e até os dias de hoje são objeto de muita controvérsia…

OLIVEIRA, A HISTÓRIA ASSUSTADORA DOS IRMÃOS NECRÓFILOS DE NOVA FRIBURGO

Na trilha do lançamento de Isolados, novo filme de Tomas Portella (Qualquer Gato Vira-Lata), inspirado na história real de Ibrahim e Henrique de Oliveira, os “irmãos necrófilos”, acho pertinente relembrar a trajetória dessas personagens assustadoras da nossa história recente. Digo isso porque, embora a coisa toda tenha acontecido entre os anos de 1995 e 1996, eu, que tenho excelente memória, não me lembrava do caso. Daí a pergunta: com quantos mais estaria acontecendo a mesma coisa?